Reencontro em Berlim!

Nosso passeio por Berlim e região do Dahme-Seen e Spreewald, Alemanha, em Dezembro/2011 e Janeiro/2012.

O nosso passeio por esta belíssima região ao Sul de Berlim teve início na verdade no dia 4 de Agosto de 2011, quando hospedamos no nosso apartamento, em Porto Alegre, o casal Monika Hartmann-Skilandat e Dirk Lange, do grupo  “Folkloretanzgruppe Berlin-Köpenick¨.

Na época, já tínhamos elaborado o roteiro do nosso passeio à Alemanha a ser realizado no período de 19/12 a 06/01/2012 (Natal/Ano Novo) para visitar nosso filho, estudante em Tübingen.

Como é natural quando hospedamos visitantes do Centro Cultural 25 de Julho, trocamos e-mails e cartões de visita com os mesmos para quem sabe, no futuro, conhecer a cidade dos hospedandos.

Dito e feito, aproveitamos a nossa estada na Alemanha e “encaixamos” um dia de visita à pequena cidade de Königs-Wusterhausen, na região do DahmeSeen, domicílio do casal alemão, onde fomos calorosamente recebidos e guiados a um passeio na região do Spreewald e em especial, nas cidades de Lübben, Luckau, Lübbenau e outras.

Seja por um passeio de um dia ou um fim de semana, um passeio curto ou longo, os mais de 70 lagos, os inúmeros canais e as trilhas para caminhantes e ciclistas pela Biosphärenreservat do Spreewald cativam qualquer pessoa.

A região dos lagos do Dahme-Seen e o Spreewald encontram-se a aproximadamente 25 km ao sul de Berlim.

Para coroar a nossa estada na Alemanha e às vésperas da nossa partida, fomos novamente guiados por este querido casal em um passeio de uma tarde pela capital, Berlim, por locais que nós certamente não descobriríamos por nossa iniciativa.

Ficamos muito felizes por termos hospedado estas duas pessoas e em conseqüência deste gesto, termos conhecido, lá do outro lado do Atlântico, um pequeno e encantador local da Alemanha que em outras circunstâncias, nunca teríamos conhecido!

Jussara Correa Linck e João Ricardo Linck

******************************************************

 

AMIZADE ANTIGA

Conheço o Centro Cultural 25 de Julho há bastante tempo. Exatos 43 anos.
Quando me mudei para Porto Alegre, indo morar na casa do Sr. Seitz, meu tio, passei a me envolver direta ou indiretamente das atividades desta Sociedade. O Sr. Seitz auxiliava na organização de alguns bailes e festividades, preparando o “Sauerkraut” para a Noite Bávara (Bayrischer Abend), decorando o salão para a noite comemorativa do “25 de Julho” (lembrando a chegada dos imigrantes alemães) os Bailes de Páscoa, Bailes de Aniversário do “25”, Bailes de Chopp, etc., etc., etc.
Por volta de 1974, atingindo a “maioridade”, tornei-me sócio e, a partir de 1977, passei a frequentar mais assiduamente os bailes com a minha namorada, depois noiva e atual esposa, uma antiga sócia também. Em 1980 fui convidado a integrar o Grupo de Teatro do “Centro Cultural 25 de Julho de P.A”.
Este grupo, formado por Willy Schmidt, Helga Krepsky, Gustav Sommer, Gisela Holz, Cristel Barcellos, Phillip Glanzner, Otto Luiz Dellapace, Arno Frost, Gertrud Thobe, Helena e Magda Lange, Veronica Kuehle, e respectivas esposas e esposos, foi formado com o intuito de reativar a antiga Teather Gruppe que deixara de existir alguns anos antes. A peça escolhida para a estreia deste grupo foi “Willys Frau” que teve sua primeira apresentação no dia 07 de novembro de 1980. Outras apresentações se sucederam em cidades do interior do estado (Panambi, Picada Café, São Leopoldo, Tupandi, Blumenau, Canoas, Gramado) Outras peças se seguiram: Der Verkaufte Grossvater, Mit Küchebenutzung, e outras mais. O grupo atuou por mais de 10 anos, Enquanto existiu, sempre surgia uma oportunidade para comemorar com uma Sopa de Ervilhas ou Eisbein do Willy ou festejar o Natal na casa da Helena na praia de Florida em Guaíba.
Depois de extinto o grupo eu e minha esposa nos afastamos do quadro de sócio por morar na Zona Sul de Porto Alegre. Em 2005 (ou 2006), como artesãos, ficamos sabendo dos Bazares das Mães e de Natal. Atraiu-nos a ideia de voltar ao Clube onde tínhamos vivido bons momentos como expositores. Lia e eu participamos desde então de todas as edições do BAZAR DO “25”, onde já temos o nosso “cantinho cativo”. Os visitantes já nos conhecem e nos procuram para conferir os trabalhos de cartonagem e papel artesanal de minha esposa Lia e meus Origamis.O retorno ao Centro Cultural 25 de Julho como expositores foi para nos uma alegria muita grande e também um “retorno ao lar”. Sempre reencontramos alguns amigos dos bons tempos do Bayrischer Abend, Jantar dos Casais, Festa do Chopp dos anos 70 e 80.

ARNO FROST

Depoimentos